Feira do Livro

A  Câmara  Municipal  de  Santa  Cruz,  através  do  seu  departamento  de  Cultura, vai realizar de 20 a 25 de Abril de 2022, a 1º Edição da Feira do Livro de Santa Cruz, que se realizará sob o tema “Ser alto com a cabeça”.  A citação, adaptada do livro O Senhor Valéry e a Lógica, de Gonçalo M. Tavares, pretende dar o mote a uma abordagem da literatura e das artes criativas como esse território de liberdade onde tudo é possível. 
Numa época em que a nossa liberdade individual foi fortemente abalada pela pandemia da COVID 19, há um lugar onde a liberdade se manteve e que foi também um lugar de pensamento sobre tudo o que se alterou em nós  e  no  mundo.  A  literatura,  a  música  e  a  arte  foram  dos  primeiros instrumentos  a  que  recorreram  não  apenas  artistas,  mas  também cidadãos comuns para enfrentar um mundo que nos expulsou das ruas de 
um dia para outro, que nos tirou a liberdade, o abraço, que suspendeu um pouco da nossa humanidade comum. 
Desse tempo primeiro da pandemia, ficaram algumas imagens de vizinhos a cantarem às janelas, de Andrea Bocelli a cantar na Catedral de Milão deserta, de fotógrafos que saíram à rua para fotografar as cidades sem a 
nossa presença, de escritores e pensadores que publicaram livros que nos ajudaram a pensar o tanto que nos assaltou a vida e os dias. 
Com esta primeira edição da Feira do Livro de Santa Cruz pretende-se, por isso,  vincar  a importância da literatura e da arte como território de liberdade,  como  palco infinito da imaginação, como lugar de 
questionamento e de pensamento. Por muito que se alterem os regimes, as regras,  as  leis,  as  conjunturas,  os  séculos, os dias, por muito que o mundo seja assolado por doenças, por guerras, por conflitos, a arte será sempre um  lugar  de  reflexão,  de  liberdade  e  de  imaginação.  Podemos sempre ser altos com a cabeça. 
Citamos, a propósito, a escritora Irene Vallejo, em Manifesto pela Leitura, “Somos uma espécie frágil, particularmente frágil: nem muito forte, nem demasiado rápida, nem especialmente resistente à fome, à sede, ao calor 
ou ao frio.  Não estamos adaptados ao voo nem à vida subaquática. 
Nascemos totalmente indefesos e a nossa infância é mais prolongada do que  a  de  qualquer  outro  animal.  Até  um  vírus  minúsculo  nos  põe  em perigo.
No entanto, uma brisa de uma qualidade surpreendente levou-nos a um desenvolvimento  inesperado,  a  um  imprevisível  progresso.  Essa faculdade  é  a  nossa  imaginação,  que,  aliada  à  linguagem,  nos  permite 
sonhar  com o inconcebível, colaborar  e fortalecermo-nos mutuamente. Somos a única espécie que explica o mundo com histórias, que as deseja, tem saudades delas e as utiliza para o processo de cura.
A  nossa  autêntica  força  é  criativa.  O  impossível  deve  ser  sonhado primeiro,  para  algum  dia  tornar-se  realidade.”.  É  também  assim  esta  I Feira do Livro de Santa Cruz: um lugar sonhado por nós, e depois um lugar 
tornado real por todos os que amam os livros ou estão na disponibilidade de iniciar essa aprendizagem de afeto pelas histórias e pela imaginação.